Blog

Fertimacro & Você: construindo fertilidade do solo.

11
06

O preço do soja está caindo! Aonde ele pode chegar?

O preço da soja está caindo!

O ano de 2016 foi excelente para sojicultura em termos de lucratividade, pois o preço do soja estava batendo recordes, alcançando pontualmente incríveis R$90/saca de soja. Já o ano de 2017 começou com preços em queda, onde vemos a soja sendo negociada por até R$50 por saca. O desespero começou a tomar conta dos agricultores. O que está acontecendo? Esta queda de preços teria fim?

A estas perguntas ninguém tem resposta. As previsões mudam a cada dia. Neste artigo também não temos nenhuma pretensão de profetizar os futuros preços. O que queremos fazer aqui é olhar o histórico do preço e imaginar onde poderia ser o fundo do poço.

Histórico de preços do soja em dólares

Antes de falar da valorização/desvalorização do dólar, que sem dúvida afeta os preço de grãos produzidos no Brasil, vamos ver o que está acontecendo com preço da soja em dólar?

O gráfico abaixo (construído a partir dos preços do cepea Esalq) mostra a evolução do preço da soja desde 1997 em dólares.

O que este gráfico nós diz? Até 2007 os preços da soja em dólar eram muito estáveis, variando em entre US$7 e US$15 dólares a saca. Em 2007 os preços saltaram para faixa de US$20 e US$30 a saca, em 2012 a soja se valorizou mais um pouco, sendo cotada entre US$25 e US$40 e em 2015 os preços começaram a voltar para patamares de US$15 a US$25 a saca.

Quais são motivos de tudo isso? Inúmeros: crescimento/desaceleração da China, quebras de safra mundo a fora, especulações, crises financeiras etc. Qual é a informação importante que podemos tirar deste gráfico? Provavelmente os preços maravilhosos de 2012 de US$ 40 por saca de soja ficaram no passado. O que nós espera? Na hipótese mais provável, os prédios vão estagnar nos patamares atuais com média de US$20 por saca. Na pior das hipóteses, voltaremos para preços mais baixos da décadas de 2000 com média de 10 dólares por saca.

Histórico de preços do soja em reais no Brasil

Agora que falamos do cenário internacional, o que podemos falar do preço do soja aqui no Brasil?

O gráfico abaixo (construído a partir dos preços do cepea Esalq) mostra a evolução do preço da soja desde 1997 no estado do Paraná.

O que podemos ver é que o preço da soja ao longo dos anos pode ser dividido em três grandes períodos: variando de R$10 a R$30 de 1997 a 2002, variando de R$30 a R$50 de 2002 a 2012 e variando de R$60 a R$80 de 2012 a 2016.

Ou seja, de 2012 até hoje a agricultura brasileira vem aproveitando uma onda que parece não ter mais fim: mesmo com o preço internacional da soja tendo caído nos últimos anos, o ganho do produtor foi sustentado pela valorização do dólar. Porém agora com queda da cotação da moeda americana estamos sentindo a queda nos preços.

O que esperar?

Então, o que esperar para o preço da soja aqui no Brasil levando em conta somente os dados histórico?

Se a cotação internacional da soja continuar nos mesmos patamares, entre 18 e 21US$/saca, e cotação do dólar ficar entre R$ 3,1 e 3,3, teremos preço entre 56 e 69 R$/saca de soja. Mas se o preço internacional cair, dependendo da cotação do dólar poderemos nós contentar com até R$44 reais por saca. Nos piores cenários possíveis podemos chegar em 32 reais por saca de soja – um verdadeiro pesadelo para agricultor.

Claro que com a desvalorização do real a cotação de soja em moeda brasileira pode melhorar. Porém, isso não melhora muito a situação do agricultor, pois os insumos agrícolas, cotados em dólar vão subir simultaneamente. Ou seja, a desvalorização do real aumentaria o preço de venda, mas também aumentaria o custo de produção.

Resumindo tudo exposto acima, é bem provável que a boa safra de 2016 dificilmente voltaria. E agora vem a pergunta. O que fazer? Como lucrar com a soja independentemente dos preços?

A solução parece óbvia, devemos nós tornar mais competitivos, produzindo cada vez mais com menos, ou seja, gastando menos insumos e produzindo mais.

Veja no nosso outro artigo como a produtividade alta ajuda lucrar mesmo com preços da soja baixos.