ARTIGOS
TÉCNICOS

Relação Cálcio Magnésio – O que diz a pesquisa atual?

Um pouco da historia da relação cálcio magnésio

Existe uma “relação cálcio magnésio” mágica que pode impulsionar a produtividade das culturas? Existe solo com balanço ideal de cátions? Num outro artigo já abordamos a origem deste conceito, mas vamos relembrar.

Em 1948 Bear chegou ao conceito de solo ideal com 65% de saturação de CTC com cálcio, 10% com magnésio e 5% com potássio. Para ele era um solo ideal para PRODUÇÃO DE ALFAFA EM NEW JERSEY COM INIBIÇÃO DE EXTRAÇÃO DE POTÁSSIO. O Bear poderia estar certo, mas infelizmente o seu conceito de solo ideal se popularizou e hoje poucos conhecem o estudo que deu origem a este conceito.

Hoje vemos muitos agricultores NO BRASIL, PLANTANDO SOJA E MILHO preocupados em alcançar as relação mágicas de Ca/Mg baseados no estudo para CULTIVO DE ALFAFA NOS ESTADOS UNIDOS. Vemos que este assunto é discutido muito entre técnicos agrônomos, aparece em discussões em blogs de agricultura, temos disponíveis até formulas de mistura de corretivos para se chegar na relação ideal. Mas seria que existe uma relação ideal?

Neste artigo abordaremos alguns tópico para esclarecer este assunto através da revisão bibliográfica dos artigos científicos atuais. Claro que não temos a pretensão de fazer revisão de todos os artigos sobre este assunto. Escolhemos um de cada para culturas mais importantes comercialmente no Brasil.

Efeito da relação cálcio magnésio na Soja, Trigo e Aveia

Para falar da soja escolhemos o trabalho de mestrado de Alcione Miotto (MIOTTO, 2009) da Universidade Federal de Santa Maria. O trabalho foi desenvolvido tanto em casa de vegetação, como em campo. As conclusões de estudos da soja na casa de vegetação são bem claras: não existe nenhuma ligação entre produção de massa seca e “relação cálcio magnésio” no solo, desde que cálcio e magnésio estejam em quantidades suficientes na solução de solo para garantir o seu transporte pelo fluxo de massa.

Em estudos de campo foram conduzidos experimentos em trés locais do Rio Grande do Sul. Nas culturas de trigo, aveia e soja foram aplicadas misturas de calcário calcítico e dolomitico. As parcelas corrigidas com estas misturas tiveram relações de Ca/Mg variando de 2:1 até 6:1. As conclusões são também bem claras: não houve interação entre Relação Ca/Mg no solo e produtividade e nem interação entre relaçãoCa/Mg no solo com suprimento destes nutrientes para planta.

Efeito da relação cálcio magnésio no milho

Escolhemos um artigo de Medeiros (MEDEIROS et al, 2008) da ESALQ/UDESC para ver o efeito da relação Ca/Mg no solo para produtividade de milho. O experimento foi conduzido em casa de vegetação. A variação da relações foi feita através das misturas de carbonato de cálcio e carbonato de magnésio. A relações variou de 1:1 até 32:1. As conclusões? Bem, ficou demonstrado que altas relações de cálcio e magnésio no solo afetaram negativamente a produção de massa seca do milho.

Gráficos do artigo de Medeiros (MEDEIROS et al, 2008). Veja gráfico Original.

Efeito da relação cálcio magnésio no feijão

O estudo da influencia da relação cálcio magnésio para feijoeiro foram conduzidos em casa de vegetação por (OLIVEIRA E al, 2003) da IAPAR. Ele mostrou que não existe relações entre produções de massa seca e grãos pelo feijoeiro e a relação Ca/Mg no solo. Segue citação completa das conclusões: A ausência de resposta do feijoeiro as variáveis na relação Ca:Mg do solo, tanto no rendimento de matéria seca no estado de florescimento quanto na produção de grãos, não permitiu o estabelecimento de uma relação Ca:Mg no solo mais apropriada para o cultivo desta espécie.

Resumo

Como comentamos acima, não temos a pretensão de exaurir por completo a revisão bibliográfica ligada a polemica relação Ca:Mg. porem acreditamos que a citação de alguns artigos de pesquisa das respeitadas instituição agronômicas sobre assunto ajuda a esclarecer que não existe relação mágica de Ca/Mg no solo para garantir uma boa produtividade.

Bibliografia:

MIOTTO A., 2009; CALCÁRIO CALCÍTICO E DOLOMÍTICO E ALTERAÇÕES NOS ATRIBUTOS DE SOLOS E PLANTAS SOB SISTEMA DE PLANTIO DIRETO Tese de mestrado (leia o artigo)

MEDEIROS et al, 2008; Medeiros, João Carlos, et al. Relação cálcio: magnésio do corretivo da acidez do solo na nutrição e no desenvolvimento inicial de plantas de milho em um Cambissolo Himico lico.”Semina: Ciências Agrícolas (2008). (leia o artigo)

OLIVEIRA, EL, and MS PARRA. “Resposta do feijoeiro a relações variáveis entre cálcio e magnésio na capacidade de troca de cátios de Latossolos.”Revista brasileira de ciência do solo27.5 (2003): 859-866. (leia o artigo)

BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

Para podermos atender você melhor, por favor, preencha os dados abaixo:

    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo em seu email.

    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.

    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.
     


    BAIXE GRATUITAMENTE O RELATÓRIO TÉCNICO

    Preencha o formulário abaixo e receba o relatório completo, em seu email.